Sua Página
09/12/2023 às 13h45min - Atualizada em 09/12/2023 às 13h45min

Estiagem: Amazonas registrou 2.928 incêndios combatidos entre julho e dezembro

Todos os 62 municípios amazonenses continuam em estado de emergência devido à seca

Brasil 61
Foto: Valter Campanato/Agência Brasil
Do dia 12 de julho a 6 de dezembro, o Amazonas registrou 2.928 incêndios combatidos pelo Corpo de Bombeiros, sendo que 835 aconteceram em Manaus e 2.093 no interior do estado. Todos os 62 municípios amazonenses continuam em estado de emergência devido à estiagem, e 150 mil famílias foram afetadas. Os dados são do último boletim divulgado pela Defesa Civil do estado na quinta-feira (7).

De acordo com o Serviço Geológico do Brasil (SGB), em julho de deste ano  foi iniciado o processo da vazante, ou seja, descida do nível dos rios Negro, Solimões e Amazonas, que formam a Bacia do Rio Amazonas. 

André Luiz dos Santos, pesquisador em geociências no SGB, explica que a última vazante foi extrema, e os rios da Bacia Amazônica ficaram com as cotas abaixo do que era esperado. Entretanto, foi iniciado o período de enchente, e a tendência é que o nível suba.

“Com exceção da Bacia do Rio Negro, as outras já estão em processo de enchente. Manaus acompanha o Rio Solimões, por isso que já está em processo de enchente. Apesar do Rio Negro não estar em processo de enchente, só Manaus. As estações que estão no Baixo Rio Negro, que sofrem influência hidráulica do Rio Solimões acabam replicando o regime hidrológico do Rio Solimões”, informa o pesquisador.

Segundo Santos, o processo de enchente do Rio Negro tem início entre fevereiro e abril, quando acontece a subida das águas do Alto e Médio Rio Negro.

Previsão do tempo
A previsão do tempo até este domingo (10) indica muitas nuvens com pancadas de chuva e trovoadas isoladas em todo o Amazonas. As informações são do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet).

Nível dos rios
Os últimos dados divulgados pela Defesa Civil do Amazonas mostram que:

Em Manaus, o nível da calha do Negro é de 14,97 metros.
Em Beruri, o nível da calha do Purus é de 7,51 metros.
Em Nova Olinda do Norte, o nível da calha do Madeira é de 7,44 metros.
Em Guajará, o nível da calha do Juruá é de 6,43 metros.
Em Parintins, o nível da calha do Baixo Amazonas é de -1,40 metros.
Em Itacoatiara, o nível da calha do Médio Amazonas é de 2,07 metros.
Em Careiro da Várzea, o nível da calha do Baixo Solimões é de 2,66 metros.
Em Fonte Boa, o nível da calha do Médio Solimões é de 11,75 metros.
Em Tabatinga, o nível da calha do Alto Solimões é de 6,83 metros.

Fonte: Brasil 61

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://thesouth.com.br/.