Sua Página
19/12/2023 às 21h46min - Atualizada em 19/12/2023 às 21h46min

IPC-S apresenta variação de 0,25% nos últimos 12 meses

Com a variação, o índice acumula um aumento de 3,51%. Entre as sete capitais analisadas, cinco delas mostraram uma redução em suas taxas de variação, são elas: Recife, Rio de Janeiro, Porto Alegre e São Paulo

Brasil 61
Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil
Na segunda quadrissemana de dezembro de 2023, o Índice de Preços ao Consumidor - Semanal (IPC-S) apresentou uma variação de 0,25%, acumulando um aumento de 3,51% nos últimos 12 meses. Entre as sete capitais analisadas, cinco delas mostraram uma redução em suas taxas de variação.

André Braz, coordenador dos Índices de Preços do FGV IBRE, destaca que a demanda relacionada às festas de final de ano, como Natal e Réveillon, influencia na aceleração da inflação de dezembro. Esta alta demanda abrange uma variedade de produtos, desde alimentos até bens duráveis usados como presentes, contribuindo para o aumento nos preços durante esse período.

“Mas o que a gente viu, apesar da aceleração que o IPC-S apresentou na primeira quadrissemana de dezembro, é que na segunda esse ritmo de aceleração não se sustentou e isso veio como uma boa notícia, dizendo que essa pressão inflacionária e típica das festas de final de ano vem com menos fôlego em 2023”, explica.

Veja as variações percentuais dos municípios das sete capitais componentes do IPC-S


Brasília - O IPC-S referente à segunda quadrissemana de dezembro de 2023, teve um aumento de 0,52% e acumulou uma alta de 3,45% nos últimos 12 meses. Das 8 classes de despesa que compõem o índice, 4 apresentaram um aumento em suas taxas de variação. Destacam-se os grupos de Alimentação e Educação, Leitura e Recreação, onde as taxas subiram de 0,21% para 0,65%, e de 1,33% para 1,76%, respectivamente;

Salvador - O IPC-S para a segunda quadrissemana de dezembro de 2023 registrou um aumento de 0,08%, acumulando uma alta de 3,19% nos últimos 12 meses. Neste período, 3 das 8 categorias de despesa que compõem o índice mostraram aceleração em suas taxas de variação. Destacam-se os grupos de Transportes e Vestuário apresentaram mudanças significativas, com as taxas passando de -0,49% para 0,34%, e de 0,09% para 0,58%, respectivamente;

Belo Horizonte - O IPC-S na segunda quadrissemana de dezembro de 2023 apresentou uma variação de 0,30%, totalizando um aumento de 4,54% nos últimos 12 meses. Observa-se uma desaceleração nas taxas de variação em 3 das 8 categorias de despesa que compõem o índice. Se destacam as mudanças nos grupos de Comunicação e Despesas Diversas, onde as taxas passaram de -0,28% para -1,44%, e de 1,68% para 1,05%, respectivamente;

Recife - O IPC-S na segunda quadrissemana de dezembro de 2023 registrou uma queda de 0,33%, acumulando um aumento de 0,56% nos últimos 12 meses. Neste período, houve uma desaceleração nas taxas de variação em 3 das 8 classes de despesa que compõem o índice. Os grupos de Educação, Leitura e Recreação, e Despesas Diversas foram os mais impactados, com as taxas alterando-se de 0,74% para -0,83%, e de 1,77% para 0,98%, respectivamente;

Rio de Janeiro - O IPC-S na segunda quadrissemana de dezembro de 2023 apresentou uma variação de 0,39% e um acúmulo de alta de 3,73% nos últimos 12 meses. 6 das 8 classes de despesa que compõem o índice mostraram desaceleração em suas taxas de variação. Os grupos de Educação, Leitura e Recreação, e Despesas Diversas foram os que mais se destacaram, com as taxas tendo alteração de 2,30% para 1,00%, e de 1,97% para 1,20%, respectivamente;

Porto Alegre - O IPC-S na segunda quadrissemana de dezembro de 2023 registrou uma variação de 0,50%, totalizando um aumento acumulado de 3,83% nos últimos 12 meses. Neste período, 6 das 8 classes de despesa do índice apresentaram uma desaceleração em suas taxas de variação. Os grupos de Despesas Diversas e Educação, Leitura e Recreação foram os mais notáveis, com as taxas alterando-se de 2,09% para 1,28%, e de 2,86% para 2,38%, respectivamente;

São Paulo - O IPC-S na segunda quadrissemana de dezembro de 2023 registrou uma variação de 0,13%, totalizando um aumento de 3,65% nos últimos 12 meses. Neste período, 6 das 8 categorias de despesas incluídas no índice apresentaram redução nas suas taxas de variação. Os grupos de Despesas Diversas e Transportes se destacaram, com as taxas mudando de 1,99% para 1,22%, e de 0,16% para -0,05%, respectivamente.

O economista Otto Nogami atribui a principal influência no resultado do IPC-S à diminuição de 0,75 pontos percentuais, observada da primeira para a segunda semana de dezembro, no Grupo de Despesas Diversas. Este grupo abrange itens variados, incluindo o fumo, e serviços como os oferecidos por correios, lotéricas, despesas relacionadas a animais domésticos e serviços bancários.

“Outros grupos de despesa também apresentaram queda, com destaque para o grupo de alimentação e transportes, que são os que normalmente tendem a pressionar a inflação”, destaca.

Nogami avalia que, no curto prazo, existe uma tendência de diminuição da inflação, especialmente considerando a possibilidade de a Petrobras realizar uma nova redução nos preços dos combustíveis.
 

Veja Mais:

Preço do ouro mantém alta nas bolsas de Nova Iorque e influencia mercado brasileiro
Alerta: antecipação de perícias para concessão do BPC pode atrair tentativa de golpes
  
Fonte: Brasil 61

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://thesouth.com.br/.