Sua Página
17/01/2024 às 11h58min - Atualizada em 18/01/2024 às 00h00min

Como dados estão iluminando o setor de energia

Hoje, as empresas de energia têm mais dados do que nunca sobre quase todos os processos da sua cadeia de valor. Agora, as novas tecnologias estão ajudando a dar sentido a todos esses detalhes para fornecer vantagens competitivas, diz David Thomason, diretor da Indústria – Geração de Energia da AVEVA

David Thomason, diretor de Energia da AVEVA
www.aveva.com
Divulgação
A energia tem um papel essencial no mundo de hoje. Alimenta o crescimento econômico, apoia a indústria e fornece eletricidade a milhares de milhões de pessoas para as necessidades diárias. Mas a dinâmica em evolução está transformando o setor de muitas maneiras.

A participação das energias renováveis na produção elétrica mundial excederá um terço até 2024. Dependendo das condições meteorológicas, este ano poderá ser o primeiro em que mais eletricidade será gerada a partir de fontes renováveis do que a partir de carvão, de acordo com as previsões da Agência Internacional de Energia.

Enquanto isso, as regulamentações de emissões estão se tornando mais rigorosas. As empresas de energia enfrentam uma necessidade premente de tornar as suas operações mais eficientes, além de melhorar a confiabilidade, a resiliência e a segurança, ao mesmo tempo que reduzem as emissões de gases com efeito de estufa (GEE), em linha com os compromissos globais de emissões líquidas zero.

As grandes empresas do setor energético foram as primeiras a adotar a transformação digital, em parte para ajudar a lidarem com essa dinâmica, promovendo uma adoção generalizada de redes inteligentes, dispositivos de Internet das coisas, sensores avançados e gêmeos digitais.

Com essas ferramentas, as centrais elétricas são agora altamente equipadas com sensores, recolhendo e armazenando continuamente grandes quantidades de dados todos os dias.

No entanto, os volumes de dados agregados vêm crescendo mais rapidamente do que nunca. Escalados, os dados de todas as indústrias e processos de consumo atingirão 180 zettabytes até 2025, acima dos 64,2 zettabytes em 2020, de acordo com o Statista.

No século 21, os dados são o novo ouro. No entanto, nesse mar de dados, o verdadeiro desafio reside em extrair conhecimentos significativos que melhorem a forma como geramos, distribuímos e consumimos energia.

Tal como o ouro, os dados precisam de ser extraídos, refinados e moldados antes de produzirem o seu verdadeiro valor.

No setor da energia, apenas 20% a 30% dos dados disponíveis estão sendo utilizados, conforme pesquisa da McKinsey.

Agora, as tecnologias avançadas vêm desempenhando um papel crucial na compreensão destes dados. Da análise estatística à aprendizagem automática, inteligência artificial (IA) e computação em nuvem, estas ferramentas e suas capacidades estão ajudando as empresas a processarem, analisarem, visualizarem e interpretarem dados de forma eficiente para uma melhor tomada de decisões.

Estabeleça uma base sólida de dados

O setor energético entende que os dados são fundamentais para superar os complexos desafios do mercado. Os sistemas de gerenciamento de dados baseados em nuvem podem ajudar a organizar, arquivar e contextualizar dados de uma ampla variedade de fontes. Esses sistemas complementam a infraestrutura física e servem como base – ou fonte única confiável – para todos os dados operacionais. Com acesso a essa thread digital única, os usuários de uma organização podem analisar extensos dados operacionais no contexto, desde a borda até a empresa.

A Energy Queensland, que atende 2,3 milhões de clientes em todo o estado australiano de Queensland, utiliza dados para monitorar a capacidade da rede. Grandes parques solares vêm produzindo maiores quantidades de energia renovável, e unidades residenciais independentes têm exercido pressão descendente sobre os custos operacionais. Ao utilizar dados em tempo real sobre a infraestrutura da rede, condições meteorológicas e características geográficas, os engenheiros da Energy Queensland gerenciaram com eficiência o fluxo de energia, reduzindo interrupções não planejadas e maximizando a capacidade da rede. Essa abordagem melhorou a satisfação do cliente e aumentou a utilização de ativos em 20%.

Detecte e corrija anomalias em toda a cadeia de valor

Energia confiável e sob demanda requer uma rede estável, mas as pressões para práticas mais sustentáveis estão aumentando. As soluções de análise preditiva podem fazer bom uso dos dados operacionais. Ao aproveitar dados históricos e em tempo real, os algoritmos de análise preditiva ajudam a antecipar a demanda futura, as flutuações de fornecimento e potenciais instabilidades da rede, permitindo que as empresas de serviços públicos tomem medidas proativas e preventivas para garantir confiabilidade no fornecimento de energia. A tecnologia também suporta práticas de manutenção preditiva, para que as falhas dos equipamentos possam ser detectadas antecipadamente, reduzindo o tempo de inatividade, otimizando a gestão de ativos e utilizando menos recursos – levando a melhores custos e impactos de sustentabilidade.

A Ontario Power Generation (OPG) é um dos maiores geradores de energia limpa da América do Norte. Ela usa um sistema de análise preditiva integrado nativamente com uma ferramenta de gerenciamento de dados baseada em nuvem em toda a sua frota, tanto renovável quanto nuclear, permitindo assim a manutenção baseada em condições infundidas por IA. Seus engenheiros não precisam mais baixar e analisar manualmente os dados de um transformador, e a empresa agora mudou para um modelo operacional preditivo, usando mais de 1.200 modelos operacionais de manutenção preditiva e prescritiva. A OPG alcançou US$ 4 milhões em economias de eficiência nos primeiros 24 meses, ao mesmo tempo que reduziu riscos e melhorou a eficiência operacional ao liberar 3 mil horas anuais de manutenção.

Obtenha uma visão holística das operações empresariais

Diferentes tipos de dados estão sendo coletados em todo o setor de energia. Além da engenharia e das operações, esses dados podem vir de fontes financeiras e empresariais, bem como de fornecedores e parceiros externos. Soluções tecnológicas modernas, como um Centro de Operações Unificado (UOC), podem integrar esses conjuntos em uma imagem holística para uma visualização completa de ponta a ponta, e desbloquear retornos mais rápidos sobre o investimento.

A Companhia Nacional de Petróleo de Abu Dhabi, um grupo diversificado de empresas de energia, centraliza milhões de pontos de dados em toda a sua cadeia de valor no seu Centro de Comando Digital Panorama, permitindo economias entre US$ 60 milhões e US$ 100 milhões.

Permita o compartilhamento de dados sem atrito para múltiplos stakeholders
Com os recursos distribuídos tornando-se comuns graças ao crescimento do fornecimento de energia renovável, uma cadeia de abastecimento de rede eléctrica interligada é crucial. A geração contínua de energia exige que várias partes interessadas possam acessar diferentes conjuntos de dados dos produtores de energia. Soluções emergentes, como produtos SaaS escaláveis, podem agora responder a essas necessidades, fornecendo acesso seguro e personalizado a cada parte interessada, conforme necessário para cumprir suas responsabilidades específicas dentro da rede.

Na Califórnia, a empresa de consultoria ZGlobal e a comercializadora de energia Silicon Valley Clean Energy foram pioneiras no compartilhamento de dados utilizando um SaaS de gestão de dados na nuvem. As empresas podem compartilhar com segurança os respectivos conjuntos de dados históricos, e em tempo real, com diversas partes interessadas, incluindo geradores, fornecedores, programadores e auditores. Cada player possui um relatório periódico personalizado com todas as informações que necessita e, com isso, milhares de dólares foram economizados na compra de energia. De modo geral, a transparência, a colaboração e a confiança dos dados melhoraram, ao mesmo tempo que aumentaram a segurança.

Aproveite os insights para obter vantagem competitiva

À medida que a indústria energética continua a ser transformada a muitos níveis diferentes, os operadores terão de se tornar mais resilientes, confiáveis e eficientes. O valor dos insights torna-se ainda mais crítico nestas situações, capacitando o setor para se adaptar aos desafios em evolução, incluindo as alterações climáticas, o aumento da procura de energia e os requisitos regulamentares, ao mesmo tempo que abre caminho para um futuro energético mais verde, mais eficiente e interligado.

Ou seja, insights baseados em dados podem ser uma vantagem competitiva que ajuda as empresas a navegarem com agilidade em um mercado em rápida mudança.

(*) David Thomason é diretor de Energia da AVEVA

 

Este conteúdo foi distribuído pela plataforma SALA DA NOTÍCIA e elaborado/criado pelo Assessor(a):
U | U
U


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://thesouth.com.br/.