Sua Página
25/01/2024 às 15h26min - Atualizada em 25/01/2024 às 15h26min

Como as Dark Kitchens podem ser mais sustentáveis?

Em alta no segmento, dark kitchens consomem menos energia e água e geram menos resíduos do que as cozinhas tradicionais

Rebecca Goulart - Search One Digita
Credito: getty-images

As dark kitchens definitivamente chegaram para ficar. O formato tem ganhado destaque no segmento e já responde por 30% dos restaurantes em São Paulo, segundo a Associação Brasileira de Cozinhas Compartilhadas (ABCC).

Mais do que uma tendência, elas têm se mostrado uma oportunidade para empreendedores. Por não atenderem diretamente o público, os custos operacionais e estruturais são reduzidos. Além disso, algumas iniciativas podem fazer com que elas tornem o setor mais sustentável.

Redução no consumo de água e energia, melhor uso da iluminação natural e uso de equipamentos modernos e eficientes são algumas das vantagens.

 

O que são dark kitchens?

Cozinhas virtuais, também conhecidas como cozinhas fantasma ou dark kitchens, são estabelecimentos culinários projetados exclusivamente para o atendimento de pedidos online por meio de serviços de entrega.

Em termos simples, são cozinhas completas, sem a opção de refeições presenciais, semelhantes às de restaurantes tradicionais. A ideia central é organizar o espaço em torno do preparo de pedidos para entrega.

Como resultado, esses locais têm a capacidade de atender a múltiplos restaurantes simultaneamente, proporcionando uma variedade de culinárias e propostas distintas.

Devido à sua versatilidade, essa abordagem tem se destacado como a preferida de muitos empreendedores que buscam atender às demandas do mercado.

Como as dark kitchens e os deliverys podem ser mais sustentáveis?

Há diversos aspectos pelos quais as cozinhas para delivery podem se destacar em relação às cozinhas de restaurantes tradicionais. Falando em termos de sustentabilidade, por exemplo, as vantagens não são apenas para o empreendedor, mas também para o meio ambiente.

1 - Redução no consumo de água

Um dos itens responsáveis por aumentar o consumo de água em restaurantes é a lava-louças. Em restaurantes tradicionais, várias vezes ao dia é preciso lavar e esterilizar louças e talheres. Essa tarefa responde por uma parcela significativa do consumo.

Em dark kitchens não há razão para se preocupar com isso. Como não há atendimento ao público no local, a única louça produzida é a das panelas e utensílios usados no preparo dos alimentos. Isso agiliza o trabalho na cozinha, reduz o consumo de água e a produção de resíduos.

2 - Redução na geração de resíduos

Outra consequência do uso inteligente de cozinhas para delivery é a redução de resíduos. Isso ocorre devido a diversos fatores. Em primeiro lugar, o descarte de embalagens de alimentos é feito pelos clientes, o que reduz o volume no local da cozinha.

Além disso, o uso de embalagens biodegradáveis ou recicláveis faz com que elas possam ser utilizadas novamente pelos clientes, reduzindo os danos ao meio ambiente. Com menor preocupação em gerenciamento de lixo, sobra mais tempo para atenção à qualidade e eficiência no preparo das refeições.

3 - Maior eficiência energética

Por operarem em um espaço dedicado exclusivamente ao preparo de alimentos para entrega, as dark kitchens podem ser projetadas visando a eficiência energética.

Isso inclui a escolha de equipamentos de cozinha energicamente eficientes e a implementação de práticas sustentáveis no uso de energia. Esse investimento não traz apenas benefícios para o meio ambiente, mas ajuda a reduzir os custos operacionais.

4 - Gestão inteligente de dark kitchens

Quando uma cozinha para delivery é montada, há que se pensar em formas de torná-la mais eficiente, seja do ponto de vista de usabilidade ou gerenciamento. Esse é o trabalho da Kitchen Central.

Esse cenário otimizado permite a adoção de iniciativas para aumentar a sustentabilidade do negócio. Por exemplo, o Rappi conta com um programa de compensação de carbono, visando neutralizar as emissões de gases que geram efeito estufa. Já a Domino’s Pizza conta com um programa de economia de água em suas cozinhas.

5 - Otimização logística

Concentrando-se na entrega de pedidos online, as dark kitchens podem otimizar suas rotas de entrega, reduzindo a emissão de gases de efeito estufa associados ao transporte.  Estratégias como a adoção de veículos elétricos ou bicicletas para entregas contribuem para uma operação mais sustentável.

Há ainda a possibilidade de priorizar ingredientes locais e sazonais na elaboração dos cardápios. Essa pode ser uma forma de apoiar produtores locais, além de reduzir a pegada de carbono associada ao transporte de alimentos em longas distâncias.

Conclusão

As cozinhas para delivery são cada vez mais representativas no setor de restaurantes. Isso se deve não apenas ao aumento da demanda por entrega de alimentos, mas também pelo fato de essa modalidade se mostra vantajosa para os empreendedores.

Com uma gestão mais eficiente, é possível reduzir custos operacionais e aumentar a lucratividade, sem que isso impacte na qualidade. Além disso, a adoção de medidas sustentáveis pode contribuir para reduzir os impactos do negócio no meio ambiente.

Ao integrar práticas sustentáveis em diversos aspectos de suas operações, as dark kitchens têm o potencial de se tornarem modelos mais amigáveis ao meio ambiente, contribuindo para a redução do impacto ambiental na indústria alimentícia.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://thesouth.com.br/.