Sua Página
22/11/2023 às 08h32min - Atualizada em 22/11/2023 às 08h32min

Indústria 4.0 promove intercomunicação dos sistemas voltados à construção civil

Metodologia BIM fomenta agilidade, mitigação de riscos, cumprimento de prazos e economia de recursos aos projetos arquitetônicos

Aline Wolff
Projeto arquitetônico da Renner Canela ganhou sistema BIM

O debate a respeito da indústria 4.0 vem ganhando destaque no mundo todo. Na construção civil brasileira, não é diferente, propulsiona o crescimento econômico e reorganiza o setor por meio da interconexão de tecnologias e soluções integradas aos projetos arquitetônicos.  

Um dos atrativos para engenheiros e arquitetos, voltado às novas culturas de produção à indústria 4.0 (a “automação das coisas”), é a metodologia Building Information Modeling (BIM), e as ferramentas que gravitam em seu torno para que todos os elementos envolvidos na arquitetura e demais disciplinas estejam unificados tridimensionalmente “na mesma página”.

A diretora e arquiteta responsável pela VZ&CO, Vera Zaffari, lembra que o momento é de transição da cultura organizacional das empresas que atuam na construção civil. “Nesse iminente futuro, muitos processos que já eram tendência de mercado estão latentes e serão imprescindíveis para a sobrevivência das empresas. Nesse sentido está o BIM”, destaca.

A inovação e a tecnologia voltadas para a otimização dos processos (enfatizando também a pauta da governança sustentável) requerem a intercomunicação de sistemas, o que promove as transformações digitais para um futuro próximo.  


BIM, a modelagem de informação para a construção civil 4.0

Também conhecida por modelagem de informação de construção, o Building Information Modeling (BIM) é um sistema de trabalho que permite simular um edifício no meio digital com riqueza de detalhes como meio de projeto. Também pode possibilitar a administração de dados de maneira simultânea se os dados ligados a ele estiverem na nuvem.

“Como plataforma tradicional para desenhos técnicos, o BIM reduz custos de 2% a 5%, porém, se aplicado como um método de trabalho para a execução de projetos completos, as reduções sobem para até 10 vezes mais”, salienta Vera Zaffari.

Para a VZ&CO, que atende grandes redes de varejo com projetos conceito, rollout (lojas que replicam um padrão) e complementares, o futuro da construção civil está pautado em três pilares: inovação, colaboração e foco em resultados. “Por isso, em 2014, implementamos a metodologia BIM, com o objetivo de fortalecer essas diretrizes já presentes em nossa cultura e em nossos trabalhos”, completa Vera.  

Outro aspecto que impulsiona a mudança cultural na produção da indústria 4.0 voltada à construção civil, é o déficit do setor que requer métodos inteligentes e ágeis. “Essa mudança não é importante apenas para sustentar a demanda global, mas também para ofertar ambientes e cidades mais inteligentes e resilientes, resultando em qualidade de vida”, reforça a diretora da VZ&CO.

As exigências dos processos BIM estão crescendo no mundo inteiro, justamente pela capacidade desse método de trabalho proporcionar a conciliação entre as especialidades envolvidas, simular digitalmente diversas soluções para o mesmo projeto, gerar redução de gastos e de erros, entre outros. Além disso, a possibilidade de acompanhar o ciclo de vida de um empreendimento, saber informações sobre sua manutenção e ter o histórico dos dados para uma possível reforma ou demolição são facilitadores para edificações com maior inteligência.


As vantagens da interconexão dos elementos

O BIM é uma das ferramentas de modelagem mais avançadas do mundo, que garante a visualização de projetos de arquitetura em até 8 dimensões, dando uma visão em 360º da construção. Simula todo o processo de construção da obra, antecipando eventuais problemas de execução — que podem ser corrigidos ainda no computador. Com isso, é possível reduzir imprevistos, o que torna todo o processo mais econômico e eficiente.

Um projeto de arquitetura bem estruturado, garantem os arquitetos da VZ&CO, é capaz de mitigar erros e conflitos passíveis de ocorrer durante uma obra. Por meio do BIM, desenvolve-se fluxos de trabalho integrados, pensados na gestão do negócio.

“Além de garantir que todos os parceiros envolvidos trabalhem em sintonia, o objetivo é proporcionar uma boa experiência de projeto ao cliente, reduzindo futuros problemas em obra e agilizando os processos para cumprir os prazos sem estresse e sem desperdícios”, explica a gerente de projetos da VZ&CO, Graciela Zaffari.

A ferramenta é focada em resultados, automatiza uma série de cálculos e etapas de uma planta da obra, além de permitir um estudo completo antes da construção. Outras vantagens são a padronização e produtividade, controle de custos e dados quantitativos, automação do uso da informação pela maior eficiência no fornecimento de dados e precisão nas informações, redução de erros, aumento da produtividade e da confiança no registro final.


VZ&CO, especialista em projetos BIM no Brasil

Com mais de 20 anos projetando para o varejo, a VZ&CO é especialista em apoiar empresas com grande fluxo de projetos comerciais na transição para o BIM, melhorando a agilidade, execução e padronização dos seus processos de expansão. Entre as organizações já atendidas estão as redes de lojas Renner e Centauro.

“Exploramos e desenvolvemos projetos para melhorar a experiência não só dos nossos clientes, mas dos clientes de nossos clientes”, cita Vera Zaffari.


Case Renner

Maior rede de moda do País, a Renner está na vanguarda da transformação digital do varejo brasileiro. À recente loja de Canela, no Rio Grande do Sul, o projeto da VZ&CO foi desenvolvido para promover uma experiência de compra omnichannel, em que o consumidor pode combinar a experiência na loja física e nas facilidades dos canais digitais, seja por site ou app.

A inovação e a sustentabilidade estão em todos os detalhes da Renner Canela. A loja tem design circular e combina o padrão visual da marca com elementos regionais da Serra Gaúcha, com soluções de arquitetura para um ambiente funcional e confortável.

Com área total de 1.607m² e salão de vendas de 1.106m², a loja possui três andares: os dois primeiros de salão de vendas e o último destinado ao setor administrativo, área de colaboradores e estoque da loja.  

Desenvolvidos com foco no conceito de sustentabilidade que guia todo o projeto da loja, os provadores têm biofilia, mobiliário modular, feito com materiais reutilizáveis e de maior durabilidade. Além da luz natural, a iluminação da loja inclui outras estratégias inovadoras e ecoeficientes para valorizar os produtos e ao mesmo tempo possibilitar economia de energia.

Inaugurada em agosto de 2023, a Renner Canela utiliza parâmetros de sustentabilidade desde a seleção de materiais e fornecedores até a implementação de práticas de construção e operação ecologicamente corretas. A loja privilegia o uso de materiais recicláveis, iluminação natural e tem destaque para biofilia, com o uso de plantas e outros elementos naturais.

“Nos premiados projetos da Renner, e nos demais que atuamos, enxergamos a arquitetura como uma área multidisciplinar que exige um olhar cauteloso às tendências e novas tecnologias do mercado, além da capacidade da visão analítica, para continuar resgatando a natureza do ser humano em meio ao concreto”, diz a diretora Vera Zaffari. Pela VZ&CO já foram mais de dois milhões de metros quadrados projetados, 200 clientes conquistados e 700 projetos inaugurados em diversas cidades do Brasil, no Uruguai e na Argentina. ”Nós potencializamos a arquitetura comercial com visão de negócio”, conclui.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://thesouth.com.br/.